quinta-feira, 31 de março de 2011

Índices de liquidez. Análise horizontal, análise vertical. Liquidez "seca", "corrente", "geral"

    
    Dentro da empresa, mantenha uma “porta aberta” para receber ideias e sugestões. Os funcionários, desde um gerente a um braçal, têm ideias que podem ser úteis para aperfeiçoar produção e administração. Premie-os nas ideias aproveitadas e você verá uma empresa engajada na busca do custo mínimo e da produção máxima.

     Ao ter em mãos o balanço ou balancete da sua empresa, ou dos seus concorrentes, é possível fazer uma série de análises das contas e avaliar sua performance e seu estágio patrimonial.. Nos valores registrados no Ativo, Passivo, e no Demonstrativo de Resultado do Exercício, há uma série de Índices que permitirão abalizar-se sobre a real saúde econômica e financeira. Ressalte-se, também, que os contadores, auditores, economistas, analistas financeiros, etc, utilizam esses Índices, entre outros, como uma lente para prospectar e realizar negócios. Esses índices permitem medir e quantificar a solvência, a lucratividade, o crescimento, enfim, saber como anda a solidez dos negócios. É comum empresas tentarem realizar grandes negócios com pequeno capital, e ainda há outras que praticam o overtrade (negócios superiores aos seus recursos financeiros).
     Alguns desses importantes Índices:

    Nota do autor:. Para cálculo dos "Índices de Liquidez” utilizado a estrutura das Demonstrações Contábeis de acordo com as leis 6404/76, e alterações conf.  Leis 11638/2007 e 11941/2009.

     A – Índices para avaliar o “fluxo de caixa”:

     Obs: Na apuração desses Índices, para cada R$ 1,00 de dívida com terceiros sabe-se quanto a empresa tem para saldar essa dívida. Se o resultado for acima de R$ 1,00, significa que ela tem “folga de caixa”.

     1.Liquidez Geral 
     Esse índice mostra se a empresa tem potencial para honrar os seus compromissos em curto e longo prazo. 
     Fórmula:



      LG = (Ativo Circulante + Ativo Circulante de Longo Prazo)
              (Passivo Circulante + Passivo Circulante de Longo Prazo)






     2.Liquidez Corrente 
     Esse índice mostra a capacidade de pagamento da empresa no curto prazo.
     Fórmula:

     LC = Ativo Circulante
             Passivo Circulante



     3.Liquidez Seca 
     A liquidez “seca” tem por objetivo refletir a capacidade de pagamento da empresa no curtíssimo prazo, quase imediato, inclusive sem levar em conta os estoques, que são considerados de menor liquidez.
     Fórmula:

 LS = (Ativo Circulante – Estoques)
            Passivo Circulante






     4.Liquidez Imediata 
     Na liquidez imediata elimina-se o esforço de realização do Contas a Receber para honrar as obrigações. Com a expansão da oferta de Crédito esse índice passou a ter baixa relevância. Logo, as Disponibilidades seriam a soma do Caixa, Bancos e outras Disponibilidades Financeiras.
    Fórmula:      

  LI =  Disponibilidades
         Passivo Circulante

     



  
  5.Endividamento Geral 
    Mede o montante da dívida em relação ao patrimônio líquido da empresa (Quanto menor, melhor).
     Fórmula:  

    EG = Passivo Circulante
                  Ativo Total






  6.Prazo médio de Recebimento do Contas a Receber (saldos de Balanço ou Balancete)
    Esse índice indica quantos dias, semanas ou meses a empresa deverá aguardar para, em média, receber suas duplicatas (ou cartões de crédito). Obs. As vendas médias são calculadas pela divisão das vendas pelo período a ser analisado (12 meses, 360 ano civil, ou 365 ano comercial).
     Fórmula:

 PMDR = Duplicatas a Receber x 360
                         Vendas Brutas






  7.Prazo médio de Contas a Pagar
     Esse índice tem o mesmo formato do item 6, com a ressalva que nos dá o tempo médio para as duplicatas a pagar.
     Fórmula:

 PMCP = Fornecedores x 360
                   Compras







  8.Necessidade de Capital de Giro 
     A necessidade de capital de giro dá-se em função do ciclo de Caixa da empresa. Quando o ciclo de Caixa é longo, a necessidade de capital de giro é maior e vice-versa.
     Fórmula:

  CG = Contas a Receber + Estoques – Contas a pagar


 


  
  B – Margem Operacional e Rentabilidade (%) e Lucro por “dentro”

  1.Margem Operacional Bruta de um produto
  A margem operacional serve para medir a eficiência das operações da empresa. Essa margem mede a porcentagem de lucro obtido em cada R$ 1,00 de venda de um produto ou serviço, ou de todos os produtos ou serviços num período. A diferença entre Venda e Compra é que compõe o Lucro Bruto (lucro antes das despesas, do imposto de renda IRPJ e da contribuição social sobre o lucro-CSSL). Obs. Se o resultado for negativo implica dizer que houve prejuízo.
 1.1.  Fórmula para um produto:
                                           

 MBp= (Preço de Venda - Preço de Custo)
                   Preço de Venda * 100%




   *Preços excluídos impostos diretos

    1.2.Fórmula para a venda total da empresa

 MBt= (Vendas Totais – Compras Totais)
                  Vendas Totais * 100%






  
  Obs: *Caso queira detalhar os Índices, pode-se calcular a Análise Horizontal e Vertical (por conta contábil - Caixa, Duplicatas a Receber, Fornecedores, Capital, etc), avaliando a evolução patrimonial (Balanço) de um ano ou trimestre em relação ao anterior. Pode-se, ainda, analisar por Grupo, Sub-Grupo e os totais do Ativo e Passivo, também em relação ao período anterior (Análise horizontal Absoluta)
              *Mais detalhamento (refinamento) dos Índices pode ser obtido utilizando-se os métodos Dupont e Kanitz.

  3.Lucro “por dentro” (ou “Mark-up”)
      Fórmula:


    Pv =     Preço de Custo
               100% - Margem

    Margem= % de Lucro desejado



   Exemplo: Um produto adquirido por R$ 1.234,56, por quanto deverá ser vendido para propiciar um lucro de 22,50% sobre o preço de venda?

   Pv =        1.234,56____      =    1.592,98
               (100% - 22,50%)

   Confirmando o cálculo:
               1.592,98 x 22,50%  =    358,42
               1.592,98 – 358,42   = 1.234,56

  3.1.Preço de Venda “Lucro Zero”
   Detalhando um pouco mais o item 3, temos a possibilidade de calcular um preço tal, que, após pagos os impostos diretos (e não cumulativos) ICMS, Pis, e Cofins, obtemos um valor que é igual ao preço de custo original. Ou seja, será um preço que podemos vender o produto, pagar os impostos e não termos lucro nem prejuízo.
   Fórmula:


    Pvlz =     Preço de Custo
               100% - Impostos

   Impostos = % total da soma dos impostos incidentes na venda



  Exemplo:
  - Produto adquirido de uma empresa no estado de Pernambuco, por outra empresa no estado de São Paulo, por R$ 1.450,00 a caixa.
  -Situação tributária:
  -Icms de Entrada(Compra): 7%; Pis 1,65%; Cofins 7,60%   = 16,25% 
  -Icms de Saída (Venda): 25%; Pis 1,65%, Cofins 7,60%      = 34,25%

Situação
  Valor
  Icms 7%
  Pis 1,65%
Cofins 7,6%
 Custo Líquido
Compra
    1.450,00
     101,50
      23,93
     110,20
       1.214,37

    Pvlz =      1.214,37     __       =     1.214,37
                    (100% - 34,25% )             65,75%

    Pvlz = 1.846,95

   Obs. A partir do momento que se obtém o Pvlz, é só adicionar a margem de lucro desejada (no caso aos 34,25%) para ter-se o preço final de venda - Pv.

   Ex. Margem de lucro desejada de 19%
         => 34,25 + 19% = 53,25%

   Pv    =  __ 1.214,27             =      1.214,37
                (100% - 53,25)                   46,75%

   Pv   = 2.597,58


        Decompondo Pv sob o aspecto contábil para confirmar o cálculo:
     Pv
Lucro 19%
  Icms 25%
  Pis 1,65%
Cofins 7,6%
 Venda Líquida
  2.597,58
    493,54
    649,40
      42,86
        197,41
       1.214,37


        Decompondo Pv sob o aspecto financeiro:

Operação:
 Valor R$
  Icms 25%
  Pis 1,65%
Cofins 7,6%
 Total dos Impostos
            R$
 Venda.....
 Custo......
    2.597,58       
    1.450,00
    649,40
  (101,50)
      42,86
     (23,93)
        197,41
       (110,20)
               889,67
             ( 235,63)

Imposto
Recolhidos

               654,04

   Resumo: Entrou em “caixa” pelas vendas R$ 2.597,58, saiu R$ 1.450,00 para pagar a compra, e saiu R$ 654,04 de impostos. Sobrou R$ 493,54, que corresponde a 19% sobre o preço de Venda.

      Inácio Dantas

     Temas relacionados (Balanço e Balancete-Diferenças):

     Temas complementares (Redução de Custos/Despesas):

    Temas afins (Boa amizade):

Nenhum comentário:

Postar um comentário